sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Fernando Correia Dias e Cecília Meireles na Tertúlia do Hotel Lamego



" TERTÚLIA  ARTES  E  LETRAS  
NO  HOTEL  LAMEGO " --- 17/ 10/ 2015


TEMA  ---  Fernando Correia Dias  e  Cecília Meireles







~~~~~~ PRÓXIMA TERTÚLIA, A 17 de OUTUBRO ~~~~~~
Fernando Correia Dias - (1892 - 1935)
Cecília Meireles - (1901 - 1964)

~~~~~~~~~~
O talentoso caricaturista, pintor e escultor, Fernando Correia Dias, foi um ilustre lamecense, nascido em terras de Penajoia, sobranceira ao Douro.
" UM POETA DO TRAÇO" e um dos introdutores do Modernismo Português nas Artes Gráficas, cujo nome urge resgatar do injusto esquecimento a que, durante tantos anos, tem sido votado.
Bem jovem, foi viver para o Brasil, onde casou com a bela, genial e célebre poetisa brasileira, Cecília Meireles, considerada uma das vozes líricas mais conceituadas da Literatura de Língua Portuguesa, e também pintora.Dela teve três filhas.
Numa das viagens do casal a Portugal, Fernando Pessoa, seu amigo pessoal, ofereceu-lhes um exemplar da " MENSAGEM", com dedicatória.
E Cecília, encantada pela beleza intimista de Penajoia, escreveu " O Cancioneirinho do Moledo de Penajoia", cujo exemplar único está à guarda da Biblioteca Nacional de Lisboa.
O famoso casal de Artistas do Traço e da Palavra, na próxima Tertúlia do Hotel Lamego, desta vez, a 17 de Outubro.


A coordenadora
Aurora Simões de Matos

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

HOMENAGEM A BOCAGE


Quando o Verso se Desfolha – 13.Fevereiro.2013










~       A MINHA HOMENAGEM A BOCAGE      ~



Comemora-se hoje, 15 de Setembro, o 250º aniversário do nascimento de Elmano Sadino, pseudónimo de Manuel Maria Barbosa Du Bocage.





A cidade de Setúbal inaugurou as comemorações do seu Poeta. Comemorações de onde se destaca o I Congresso Internacional dedicado a Bocage.

Para recordar o estilo inconfundível das suas famosas sátiras, deixo-vos a minha singela homenagem a esta Figura incontornável da literatura portuguesa. Para ouvir, basta clicar na hiperligação, a letra  verde, " Quando o verso se desfolha"... no cimo da página. Obrigada.


Aurora Simões de Matos




quinta-feira, 10 de setembro de 2015

PADEIRA DE ALJUBARROTA - UMA ESTÁTUA INGÉNUA, COM ARES DE INCRÉDULA!!!



MUDAM OS TEMPOS... MUDAM AS VONTADES











TARDE DE AGOSTO EM ALJUBARROTA, numa esforçada conversa com a famosa Padeira Brites de Almeida, tentando convencê-la a emprestar-me a eficiente PÁ, com que terá, de uma vez só, dado cabo de sete deles.
Cumplicidades entre Mulheres de Barba Rija!!!
Só que, apesar do meu poder de argumentação (que pelos vistos já conheceu melhores dias), a Padeira olhou-me de lado e, com aquela cara de lata, fez de contas que as estátuas não ouvem!!!
É que, por certo, ela nunca entenderá que, passados pouco mais de seis séculos sobre o heróico episódio que a tornou lendária, muitos dos países desta velha Europa tenham perdido o Orgulho pela sua INDEPENDÊNCIA... e que alguns já tenham desistido de por ela lutar...
E nunca entenderá também que a mesma velha Europa dos grandes valores tenha perdido a GENEROSA SOLIDARIEDADE entre os Povos, para se alhear de uma das maiores tragédias humanitárias da História do Mundo.
Porque fechar as fronteiras a quem foge da fome, da guerra e da morte, erguendo muros ou abrindo barquitos de borracha para uma morte quase certa no Mediterrâneo, além de cruel, arrogante e sádico, é um triste testemunho dos tempos negros da pior mostra do ser humano.

POBRE VELHA EUROPA, que se tornou hipócrita!!! 

POBRE PADEIRA DE ALJUBARROTA, que se tornou ingénua!!! 

POBRE DE MIM, que me tornei implacável!!!

NOTA:
Um destes dias, regressarei, em busca da PÁ. Porque as negociações não podem parar, perante alguém que, por incredulidade, virou cara de lata!



                                                                                              Aurora Simões de Matos




                                                                                        Aurora Simões de Matos