domingo, 1 de dezembro de 2013

POEMA---"ESPERO A TUA PALAVRA"


ESPERO A TUA PALAVRA



Não desisto de falar contigo
e espero a tua palavra

Para ouvir o que pensas da noite e da madrugada
do vulto que se perde e se denuncia pela luz
do rosto que se embrenhou na escuridão
sem se despedir da lua
por companhia o rasto de uma estrela moribunda

Sei que me ouves e não desisto de perguntar-te:
- A quem pertence o que perdemos de nós?
- Será que um guardou o que o outro perdeu?
- A sombra é um vulto da noite ou da madrugada?

Espero a tua voz
ainda que seja só para dizer-me:
- Encontrei o rasto de uma estrela moribunda. O dia está aí...


                                        Aurora Simões de Matos





2 comentários:

Anónimo disse...

"Não desisto de falar contigo...", este é um verso que diz exatamente o que a Aurora nos quer sempre dizer. Daí as suas obras, o seu sorriso e a sua tertúlia.
É uma desafiadora da palavra e de tudo o que nos permite pôr em comum: ideias, opiniões, críticas... É assim que Aurora é sinónimo de troca e de partilha, aspetos tão saudáveis no mundo em que nos movemos.

Isilda Lourenço Afonso

Aurora Simões de Matos disse...

O meu largo sorriso a quem fez questão de me deixar este mimo de afeto.

Muito obrigada, Isilda Lourenço Afonso