sábado, 19 de abril de 2014

TEMPO PASCAL----A PÁSCOA DOS EMIGRANTES


Vidas em Regresso





A PÁSCOA DOS EMIGRANTES

Deixaram um dia
a musicalidade das fontes
e o trilho de caminhos desabridos
com a saudade
que a brisa dos seus sonhos tentou em vão esconder

Encheram cidades cinzentas de estranhas falas rezadas
e ajudaram a poluir horizontes apertados
onde não cabia sequer a sua crença

Aprenderam linguagens sem estilo
e ofereceram suor e lágrimas
a caminhos que não eram os seus


Espelharam miragens encantatórias
em cada regresso
às origens agrestes de seus pais e avós

Elegeram a PÁSCOA
como a primeira das três vezes
em que no ano haveriam de vencer todas as distâncias
adentrando a estação maravilhosa


Reabrem as varandas das encostas
saboreiam aromas púberes
adoçados na masseira das lembranças
emolduram de perfume a rosmaninho e alecrim
portas que se oferecem à Visita do Senhor
e a rituais de romântica ancestralidade

Trazem dias de festa
e emprestam pinceladas coloridas 
ao xisto negro que os viu nascer...
ao granito duro que os viu partir...


                                             Aurora Simões de Matos



2 comentários:

Meg disse...

Tão verdade.Gostei muito.Bjs

Aurora Simões de Matos disse...

Tenha um Santa Páscoa, Meg, com muitas doçuras na mesa, branduras no tempo e afectos cheios de amor no coração! Abraço pascal...