sexta-feira, 20 de setembro de 2013

A FORÇA DAS PALAVRAS (POEMA)


A FORÇA DAS PALAVRAS


Na memória das palavras
reinvento oásis de frescura
que falam de viagens interrompidas
por sismos em delírio
e ingenuidades
assombros e desassombros

As palavras compõem e desfazem
as palavras são sangue
e o sangue brota como a água
de entranhas que anunciam cores em frémito

Na cachoeira
solto palavras que condimentam sentidos



                                                                                            Aurora Simões de Matos

2 comentários:

Cristina Cebola disse...

Lindo! Mágico! Belo! As palavras têm realmente a força do maior tsunami...

Beijinho querida amiga Aurora Simões de Matos!

Aurora Simões de Matos disse...

As palavras constroem e destroem.Essencial é pensá-las antes de as dizer.
Obrigada, Poetisa Cristina Cebola, pelas suas palavras sempre tão estimulantes...

Beijinhos...