quinta-feira, 13 de julho de 2017

A MINHA ALDEIA

ALDEIA DE MEÃ - PARADA DE ESTER
CASTRO DAIRE




SUBLIMAÇÃO

 A minha aldeia é linda, linda, linda
 rendando a falda à bela Montemuro 
É o passado à espera do futuro
neste presente que o não é ainda




Morena, sensual, toda verdade                                        
insinuando-se ao Paiva, sedutora
escondendo a inocência encantadora
num jogo lindo de cumplicidade

entre férteis lameiros, milheirais
caminhos soltos onde a água corre
e o sol que a abrasa numa oferta
a que o rio não resiste mais
e em arquejos de amor como quem morre
lha cai aos pés numa paixão aberta


E assim vivendo, em plena doação
se complementam na doce magia                          
suprema dum amor todo alegria
que não lhes cabe sequer no coração
e transbordando para além de si
inunda os montes, as pedras, os caminhos
o sol, o céu, ventos e ribeirinhos
como se o mundo fosse todo ali


Passam as vidas para além do tempo
passam os tempos além das ideias
e o rio... sempre na mesma pureza
dum amor sublimado em sentimentos
que oferece à mais pura das aldeias           
que só nele mira sua eterna beleza


no livro " Pontes de mar e serra" - 1997 



(Fotos de Miguel Batalha)                                    
                                                                                                                                   


                                                      











Aurora Simões de Matos

                             Aurora Simões de Matos

Sem comentários: