domingo, 16 de dezembro de 2012

Sobremesa de Natal

Sopa seca à moda da beira-Paiva
Freguesia de Parada de Ester (Castro Daire)

  
Esta é, como desde sempre foi, a mais tradicional receita de sobremesa para os dias de festa na minha região de origem. Barata, fácil e apetitosa...
Corta-se pão de trigo, já um pouco seco, às fatias.
Embebe-se cada fatia em água abundante, previamente fervida com um pau de canela e açucarada, a que se juntou também um bom bocado de manteiga ou,melhor ainda,de banha (que na minha terra se chama manteiga de porco).
Vão-se dispondo as fatias em camadas, num tabuleiro ou alguidar de barro. Cada camada é polvilhada com açúcar e canela.
É só levar ao forno, de preferência forno de lenha, e deixar alourar. As fatias de cima ficam tostadinhas. As de baixo ficam húmidas.
Se forem comidas no dia seguinte, continuam a ser deliciosas.




Nota:-----Ao longo do tempo,houve quem fosse introduzindo alterações a esta receita,certamente com a intenção de a enriquecer,já que era chamada "a sobremesa dos pobres".Esta é,no entanto,a receita tradicional,que nunca falta na minha mesa da Consoada.Boas Festas...e...



                                                           BOM APETITE!!!

4 comentários:

Mª Dolores Marques disse...

Aurora esta receita não conhecia. A Minha avó fazia umas rabanadas com vinho e que ainda de vez em quando faço. São feitas como as de leite, pelo que me lembro. Também são boas!
Mas esta receita vou fazer também. Obrigada

Cristina Cebola disse...

Querida Aurora, certamente irei experimentar. Depois conto como me saiu...
Beijinho imenso de muita amizade e carinho, com o desejo de Boas Festas, para a minha amiga e família....

Aurora Simões de Matos disse...

Também costumo fazer rabanadas de vinho e são igualmente uma delícia.No entanto estas não são rabanadas.
Não são fritas, são feitas no forno!
Sabores de tradição que nos fazem saudades e nos aguçam o apetite.
Beijo meu, Dolores Marques.

Aurora Simões de Matos disse...

Querida Cristina Cebola, a minha Amiga não está habituada a estes sabores. Na nossa região chamam-lhe a sobremesa dos pobres, por ser feita com sobras de pão seco e ficar muito barata.
No entanto, se for bem feita, não deixa de ser uma saborosa sobremesa. É indispensável, nas mesas de festa da minha terra.

Beijinhos e bom apetite!!!