quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

COM MIGUEL TORGA
Tertúlia Literária do Hotel Lamego
08/12/2012




LEITURA DO POEMA "SÃO LEONARDO DE GALAFURA"




MEDALHA MIGUEL TORGA







DIPLOMA DO CENTENÁRIO DE MIGUEL TORGA,da Federação das Academias de Letras do Rio de Janeiro e da Academia de Letras e Artes Lusófonas





MEDALHA MIGUEL TORGA,que recebi com o maior orgulho





Poema escrito e lido pelo Presidente da Academia de Letras e Artes Lusófonas e Representante em Portugal da Federação das Academias de Letras do Rio de Janeiro,no momento da imposição da Medalha Miguel Torga


TAMBÉM EU
(Resposta a Miguel Torga)


Sei de um monte, sei de um rio,
sei de um barco a navegar,
sei duas margens de um corpo
onde é fatal descansar.
Sei da nuvem, sei da chuva,
sei da mágoa de esperar
por um abraço perdido
que ligou a serra ao mar.
Sei da rede e da jangada,
olhos, ventre a desflorar,
louca ânsia na corrente,
aflição de desejar
que não contarei, não digo,
porque o que sei é comigo.


                             Aurora Simões de Matos 

...........................................























Sei um ninho
[poema de Torga que me inspirou o poema Também eu]



Sei um ninho.
E o ninho tem um ovo.
E o ovo, redondinho,
Tem lá dentro um passarinho
Novo.

Mas escusam de me tentar:
Nem o tiro, nem o ensino.
Quero ser um bom menino
E guardar
Este segredo comigo.
E ter depois um amigo
Que faça o pino
A voar...


                                  Miguel Torga

2 comentários:

Cristina Cebola disse...

Só na foz os segredos se revelarão.No seu percurso, o rio personificado em corpo de mulher...vai deixando reflexos na transparência das suas águas...fugidias como a fluidez de um poema. Com corpo...com alma...com sangue!
Assim são os seus versos, amiga Aurora Simões de Matos!

Beijinho com enorme carinho e amizade! ***

Aurora Simões de Matos disse...

Assim o entendem as sensibilidades mais subtis,no desvendar do segredo poético.
Grata por ser uma delas,Amiga Cristina Cebola...***