quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

NAS FALDAS DO MONTEMURO



"AMOR SUBLIMADO"






A minha aldeia é linda, linda, linda
rendando a falda à bela Montemuro...

É meu passado à espera do futuro
neste presente que o não é ainda...





Morena, sensual, toda verdade
insinuando-se ao Paiva, sedutora
escondendo a inocência encantadora
num jogo lindo de cumplicidade
entre férteis lameiros, milheirais
caminhos soltos onde a água corre
e o sol que a abrasa numa oferta
a que o rio não resiste mais
e em arquejos de amor como quem morre
lhe cai aos pés numa paixão aberta...





E assim vivendo, em plena doação
se complementam, na doce magia
suprema dum amor todo alegria
que não lhes cabe sequer no coração
e transbordando para além de si
inunda os montes, as pedras, os caminhos
o sol, o céu, ventos e ribeirinhos
como se o mundo fosse todo ali...

Passam as vidas para além dos tempos
passam os tempos além das ideias
e o rio... sempre na mesma pureza
de um amor sublimado em sentimentos
que oferece à mais pura das aldeias
que só nele mira sua eterna beleza...






        Aurora Simões de Matos




3 comentários:

Cristina Cebola disse...

Um dos olhares mais sublimes sobre a natureza e, de Amor profundo às suas raízes....parabéns querida Aurora Simões de Matos, por mais um belíssimo poema que tanto me encantou, na visita que hoje fiz ao seu blogue...beijinho sempre amigo!

Laura Motta disse...

Minha Bisavó e avó foi nascida e criada em meã e eu tenho grande interesse em saber mais a respeito desta aldeia, infelizmente as duas já faleceram e os registros sobre ela na internet são muito poucos, mas uma feliz coincidência algo me levou a este blog, por favor mais informações de qualquer tipo que seja sobre esta terra por obséquio me informar, serei muito grata ! e-mail: lauralmotta@hotmail.com ou lauralopesmotta@gmail.com , se possível enviar para os dois.
obrigada por sua atenção!

Aurora Simões de Matos disse...

Laura Motta

Suponho que está a comunicar a partir do Brasil,onde este blog é muito visualizado,talvez pelo elevado número de emigrantes oriundos desta região portuguesa do vale do Paiva que,em meados do século passado,aí se fixou.

Também eu nasci em Meã,bonita aldeia da freguesia de Parada de Ester,concelho de Castro Daire.Terra de xisto,fértil de águas,com estrada térrea desde os anos de 1940 e com electricidade desde a década de 1980.
Ali nasci,ali cresci,ali trabalhei como professora ...e ali serei sepultada,segundo minha vontade expressa.
Muita coisa sobre Meã pode ser vista neste blog,onde estou sempre a dar notícias da terra,da região, das gentes e das paisagens.
Escrevi quatro livros sobre este tema,embora em abordagens diferentes.Tenho alguns poemas musicados que nos podem transportar ao deslumbramento por esses lugares maravilhosos.Alguns deles estão neste blog.É só uma quetão de procurar.

Muito brevemente irei postar aqui um álbum de fotografias sobre essas gentes e ambientes,a que vou chamar "CONTOS DE XISTO",que é o nome do meu mais recente livro.
Também no youtube pode encontrar alguns vídeos sobre o mesmo tema.Basta pesquisar a partir do meu nome no GOOGLE.
Tenho ainda um programa de rádio,onde já por várias vezes dediquei todo o tempo a Meã.Tudo isso está na internet.Basta pesquisar o meu nome,como já referi.
Espero que compreenda o motivo pelo qual nunca uso o mail para comunicar com quem não conheço.
Se tiver facebook,terei muito gosto em fornecer-lhe mais dados.

Grata pela visita ao meu blog,que abri intencionalmente para comunicar com os meus conterrâneos que mourejam por esse mundo fora.

Aurora S. M.