terça-feira, 14 de maio de 2013

À PROA----POEMA


  
                                    À PROA







                                   À PROA

Esperarei por outra viagem
e inventarei dela o rumo.

Pedirei ao vento que me traga 
as ideias que perdi pelo caminho.

Nasci para ser barco no mar alto
e o mar é imenso de atravessar
e os meus destinos são os destinos dos outros.

Esperarei na praia
que as ondas apaguem as pegadas que não são minhas.

Depois,à proa,sulcarei o caminho das águas
e ensinarei às aves marinhas a canção da minha história...




                                            Aurora Simões de Matos

2 comentários:

Cristina Cebola disse...

Sentei-me na praia, no sítio onde as ondas varreram todas as pegadas.
Vi-a sentada na proa do barco e viajei também, por esse mar de emoções.
Ao fundo, ouvia-se a música das aves, a embalarem-nos o sonho...

Tão belo minha querida Amiga Aurora Simões de Matos...
Tanta doçura...tanta ternura...!

Beijinho GRANDE!!!!

Aurora Simões de Matos disse...

No mar de emoções em que tantas vezes afogamos as nossas desilusões, podemos ainda espraiar-nos na plenitude de horizontes...

Grata,minha linda amiga Cristina Cebola...

Beijinho outro...