sexta-feira, 22 de junho de 2012

AMIGOS E AMIZADES

AMIZADES

"Um Amigo faz-se rapidamente; já a Amizade é um fruto que amadurece lentamente."
                             Aristóteles

"Pode ser que um dia nos afastemos... mas, se formos amigos de verdade, a amizade nos reaproximará."
                             Albert Einstein


"Para conhecermos os amigos, é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade  e, na desgraça, a qualidade."
                                                                                                                         Confúcio

HOMENAGEM AOS MEUS AMIGOS

Sem dúvida que um dos sentimentos mais sublimes que o ser humano pode gerar é a Amizade por outro ser humano.
Amizade!
Para muitos (para mim também) um bálsamo que não se dispensa. Lugar de regozijo pelos êxitos da vida. Refúgio acolhedor nas tensões mais dramáticas. Espaço de partilha. Sempre... um cruzar de emoções.
Quem é capaz de viver sem aquele abraço largo ou apertado em que se soltam alegrias e raivas? Aquela troca de olhares que dispensam palavras? Aquela mensagem de cumplicidade sem margens? Aquele ombro em que se choram as dores? Aquele sorriso sereno onde se depositam segredos? Aquela leitura de sinais que ninguém mais sabe entender? Aquele coração sempre aberto às nossas vitórias e aos nossos fracassos? Aquela gargalhada ou aquela lágrima partilhadas no intimismo de um sentimento?
Não é fácil conquistar uma Amizade que valha a pena. Pela disponibilidade. Pela compreensão. Pela tolerância. Pela aceitação do outro, com a carga de contradições que inevitavelmente existe em cada ser. Por esse laço superior que se chama lealdade.
Depois de conquistar-se uma Amizade, não é fácil mantê-la com saúde. É como o Amor. Necessário alimentá-la. Principalmente com a tal lealdade. Que se faz de presença. Que se faz de interesses em que não entra (não pode entrar) a intenção do lucro. De interesses alicerçados no desinteresse. Que se faz de palavras. E muitas vezes de silêncios. Mas sempre, sempre, de presença. Muitas vezes, pela presença subtil de um pensamento. Muitas vezes, pela presença subtil de uma intenção. Que pensamento e intenção podem ser forte presença. Como todos sabemos. É uma questão de confiança.
Pessoalmente, tenho a sorte de, ao longo dos anos, ter conquistado boas e fortes Amizades. Todas diferentes. Todas iguais. Dispersas pelo tempo e pelo espaço. Sempre presentes. Cada uma à sua maneira. Não seria eu a mesma pessoa, sem os alicerces de vida que elas me ajudaram a consolidar. Não seria eu a mesma pessoa, sem o espaço que cada uma me abre no seu coração. Muito. Eu sei. Eu sinto-o. Por isso, hoje, e desta forma também, uma Homenagem aos meus Amigos.


Apenas alguns dentre os melhores  ( 2012)




Quando a Amizade se confunde com o Amor de (a) meus irmãos


              Confidências

Vieste na bruma da manhã tranquila
cheirava a maresia na praia deserta
cada ser um ser, mistério insondável
pobreza e riqueza incomensurável
dum livro a ler, em página aberta...

Vieste na bruma da névoa perdida
cheirava a maresia na praia molhada
marcaras encontro com imagens vividas
fizeste leituras de folhas já lidas
"Confidências" - Alves Cardoso
em recordações de outra madrugada...

Vieste da aragem perdida no tempo
na praia molhada cheirava a maresia
trazias saudades de muitas lonjuras
retratos de vida em lindas molduras
presentes com laços feitos de poesia...

Cheirava a maresia na praia molhada
vieste do tempo perdido na aragem
trazias notícias longínquas de mundos
onde deambulam sonhos vagabundos
peregrina errante, constante viagem...

Vieste na bruma da manhã tranquila
frente ao mar deserto, na imensidade
gotícula de água na aragem perdida
foi o teu segredo pedindo guarida
na busca da minha cumplicidade...

Voragem das horas no tempo encontrado
na praia deserta cheirava a maresia
encontraste o eco da tua mensagem
num outro segredo, em outra linguagem
e nossa Amizade dobrou nesse dia...

Aurora Simões de Matos
(in Poentes de mar e serra)



Nota: Este e outros poemas sobre a Amizade podem ser ouvidos no programa 24 de "Quando o verso se desfolha" - Momento de Poesia, de que sou autora e apresentadora, na Rádio Clube de Lamego - emissão online, também em homenagem aos meus amigos. Pesquise no Google em Aurora Simões de Matos.


15 comentários:

Ramos disse...

Simplesmente! Gostei! Gostei muito.

Ramos disse...

Voltei a ler. Vou partilhar na minha página do facebook e vou meditar.

Aurora Simões de Matos disse...

Quero que saibas,Felisberto Ramos,que me orgulho de poder incluir-te no painel das minhas Amizades superlativas.Sinto o teu afecto no correr do teu gesto.Também gostei deste reencontro e desta redescoberta.Bj para ti e para a Cizal.

Aurora

Anónimo disse...

Sempre tive a convicção de que investes imenso no culto da amizade. Perante o que li e vi, só posso dizer o seguinte: Aurora, obrigado por retribuires, de modo tão veemente, o carinho que tenho por ti.
Bjs.
Norberto Gomes da Costa

cidalia lage disse...

Gostei de me ver , ali no canto superior direito, a minha cara laroca de caracóis"artificiais"...Adorei o que li e, sinceramente, estou muito tocada pelas palavras e pela mensagem.A Amizade e o reencontro intemporal;as raízes que não se deveriam perder nunca porque seríamos, provavelmente, melhores.
Adorei...e vou dar noticias e escutar

Aurora Simões de Matos disse...

Norberto,meu querido Amigo

Razão tenho eu tido para investir na Amizade.Na tua.Tão longa e tão determinante.Tão a sério.Como devem ser as Amizades.Tão sempre presente.Como se exige de um afecto que não se quer perder.Prenda bonita que a vida me trouxe.A tua Amizade.Por ela,o meu abraço.
Aurora

Aurora Simões de Matos disse...

Querida Cidália
Bem verdadeira a citação de Albert Einstein.Muitos anos depois,nada morreu.Os caminhos da vida,tão diversos,não mataram o sentir.A Amizade ficou incólume ao tempo.Porque tinha raízes.Gosto muito que assim tenha acontecido.Por si,que um dia me ofereceu a mão.Nunca o esquecerei,Cidália.Um beijo grato.
Aurora

Mar disse...

Tão pouco tempo, Aurora. Conhecemo-nos há uns meses. E aqui, o meu rosto. Uma dádiva grande, fazer parte. Uma honra. E assim nesse registo que entendo. A grafia diz coisas que me são fundamentais. A amizade sem pretender. O princípio da reciprocidade. Da nutrição dos afectos. Tudo sem fazer contas. Gratuito. Inesperado. Que é para ser mesmo dádiva.
Já lho disse no nosso registo de emails. Mas volto a dizer aqui. Quero ser merecedora do seu afecto. Do seu carinho. Estas coisas são tão maiores do que nós. Ainda assim, a tarefa sublime de corresponder. De se ser digno de quem nos acontece. Assim seja.

Um beijo com a minha gratidão e o meu carinho.

Mar

Aurora Simões de Matos disse...

Mar
Pois é também assim que entendo.Muitas vezes,tudo começa na empatia."Estas coisas são tão maiores do que nós...".E vão-se descobrindo afinidades.E sinais(os tais sinais)que só quem sabe é capaz de descobrir.De sentir.De valorizar.
A escrita e a sensibilidade.Nelas,o fulcral ponto de entendimento.E de interesses.Alguns,a descobrir.Farão parte da exigente "nutrição dos afectos".
A honra é também minha.A ter em conta,"o princípio da reciprocidade".E da lealdade de que falo na minha mensagem.
Quero muito que seja feliz.Na grandeza que merece.
Aurora

Sérgio Gomes disse...

Querida Professora Aurora,

que palavras tão bonitas! É verdadeiramente uma honra fazer parte desse restrito grupo daqueles que se podem dizer seus amigos.
Muito obrigado pela amizade que me tem dedicado, que tentarei sempre alimentar e de que tanto me orgulho.
Esperamos que esteja tudo bem consigo e que nos prometa nem que seja um cafezinho quando passar em Castro Daire.
Beijinhos,

Sérgio e Márcia

Aurora Simões de Matos disse...

Meu querido Sérgio André,o ponto mais forte de qualquer amizade é,sem dúvida,a lealdade.Tudo o resto depende desse elo gerador.É aí que tudo começa e é aí que tudo pode acabar.Necessário esforço.Húmus.A amizade não admite vacilações.Requer muita personalidade.E sim,requer presença.Nem que seja para um cafezinho entre dois abraços.Por isso,irei,logo que possa.
Obrigada por tanta lealdade.Linda.
Beijos para os dois,Sérgio e Márcia

Anónimo disse...

Obrigado por me incluíres no teu grupo de amigos.
Obrigado por me incluíres na definição de AMIGO que aqui descreves de uma forma sublime.
Só tu consegues por na escrita palavras com tão elevado sentido e repletas de sentimento.
Fernando Luís

Aurora Simões de Matos disse...

Meu Amigo Fernando L.
O sentido das palavras só faz sentido,se elas exprimem a VERDADE.No painel das minhas Amizades,conta sobretudo a VERDADE.Dos afectos.Das intenções.Das presenças.Muito,da lealdade.E do respeito.

Grata,por poder incluir-te no meu pedestal.Sei que a tua atenção não esmorece.Também por esse lado,aqueles Amigos são tão especiais.E no meu coração existem
alguns mais.Eles sabem.Um beijo por tanta luz.
Aurora

CiLg disse...

Hoje estou particularmente...nostálgica!Será a meteorologia tão incerta quanta a vida,olhar para trás e lembrar tanto momento bom e irreplicável, ver os filhotes transformados "em homens casadoiros , valha-me N.S.ª das Neves padroeira do meu pedacinho no Douro)!,sei lá o que será?Por isso ainda bem que recebi o seu convite para Julho!Lá estarei e "mailo" rebento poeta que por certo há-de querer apresentar-se...Beijão! CiLage

Aurora Simões de Matos disse...

CiLage
Que bom ver os "filhotes" transformados em homens casadoiros. E saudáveis. E talentosos. Inteligência que até dói. Um grande orgulho para mim, ter na apresentação de "Contos de Xisto" no Porto, a presença do Poeta Rui Lage, um dos maiores nomes da nossa Literatura Comtemporânea. Melhor ainda, quando acompanhado de sua mãe e minha amiga Ci. Um beijo grande para ambos. Aurora Simões de Matos